Google+ Badge

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

O ESTILO KOLSCH SEGUNDO O BJCP

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves

O BJCP (Beer Judge Certification Program) define as diretrizes de estilo para cerveja. Nesse guia podemos encontrar todos os estilos conhecidos até hoje, analisando a cerveja sob todos os aspectos: cor, aroma, sabor, corpo, densidade, teor alcoólico e muito mais.




Kölsch

Aroma: Aroma de malte Pilsen muito baixo a nenhum. Aroma frutado sutil e agradável proveniente da fermentação (como maçã, cereja ou pera) é aceitável, mas nem sempre presente. Aroma baixo de lúpulo nobre é opcional, mas não é inadequado (está presente apenas em uma pequena minoria das versões autênticas). Algumas leveduras podem acrescentar uma leve característica vinífera ou sulfurosa (esta é também opcional, mas não um defeito).

Aparência: Cor de dourado muito pálido até dourado claro. As versões autênticas são filtradas para obter uma limpidez brilhante. Colarinho delicado que pode não ser persistente.

Sabor: Paladar suave e arredondado, composto do equilíbrio de sabor entre o malte suave bem atenuado, um dulçor frutado quase imperceptível proveniente da fermentação e um amargor de médio-baixo a baixo, com uma secura delicada e um leve amargor no final (mas sem agressividade no retrogosto). O sabor de lúpulo nobre é variável e pode ser de baixo até moderadamente alto (a maioria vai de médio-baixo a baixo). Um ou dois exemplos (a Dom é a mais proeminente) possuem um dulçor de malte de início. Algumas versões podem ter um caráter levemente mineral ou sulforoso proveniente da água ou levedura que acentua a secura e o equilíbrio de sabor. Algumas versões podem ter um leve sabor de trigo, apesar de que isso seja bem raro. Do contrário é limpa, sem diacetil ou álcoois superiores.

Sensação na Boca: Macia e com final bem definido (crisp). Corpo médio-leve, mas com algumas versões que podem ter corpo médio. Carbonatação de média a médio-alta. Geralmente é bem atenuada.

Impressão Geral: Uma cerveja limpa, com final bem definido (crisp) e delicadamente equilibrada, normalmente com sabores e aromas de frutas bem sutis. Maltosidade subjugada do inicio ao fim leva a um sabor picante, refrescante e agradável no fim. Para o degustador pouco treinado pode ser facilmente confundida com uma lager leve, uma Pilsner um tanto sutil ou talvez uma Blonde Ale.

História: O termo Kölsch é protegido pela Kölsch Konvention e está restrito a aproximadamente 20 cervejarias dentro e nos arredores de Colônia (Köln), na Alemanha. A Konvention define apenas a cerveja como uma “Vollbier leve, altamente atenuada, com lúpulo acentuado, límpida e de alta fermentação”.

Comentários: Servida em copos altos e estreitos de 200 ml chamados de “Stange”. Cada cervejaria de Colônia produz uma cerveja com caráter diferente, interpretando a Konvention de forma diversa. Deve-se permitir uma gama de variações dentro do estilo quando julgado. Note que as versões mais secas podem parecer mais lupuladas e amargas que as especificações de IBU podem sugerir. Em decorrência de seu perfil de sabor delicado, a Kölsch tende a ter uma validade relativamente pequena (exemplares mais velhos podem apresentar defeitos por oxidação). Algumas cervejarias de Colônia (Dom e Hellers, por exemplo) estão produzindo cervejas jovens e não filtradas, conhecidas como Wiess (que não devem ser enquadradas nesta categoria).

Ingredientes: Lúpulos nobres da Alemanha (Hallertau, Tettnang, Spalt ou Hersbrucker). Malte Pilsen alemão ou pale. Leveduras ale com alta atenuação e floculação. Até 20% de trigo pode ser usado, mas isso é bastante raro nas versões autênticas. A água pode variar de extremamente mole a moderadamente dura. A mosturação com rampa de temperaturas é tradicionalmente usada, porém bons resultados podem ser alcançados com infusão simples a 65ºC. Fermentadas em temperaturas frias de ale (15-18ºC) e maturada por, pelo menos, um mês. Contudo, algumas cervejarias de Colônia fermentam a 21ºC e maturam por não mais de duas semanas.

Estatísticas: OG: 1,044 – 1,050

IBUs: 20 – 30 FG: 1,007 – 1,011

SRM: 3,5 – 5 ABV: 4,4 – 5,2%


OG – Original Gravity: Densidade Original. Medida da densidade do mostoantes da fermentação, que varia com a quantidade de açúcares em solução.
IBU – International Bittering Units: Unidades Internacionais de Amargor. Escala referente ao amargor do lúpulo.
FG – Final Gravity: Densidade Final. Medida da densidade do mosto fermentado. A relação entra a OG e a FG ajuda a estimar o teor alcoólico da cerveja final.
SRM – Standard Reference Method: Método Padrão de Referência, relativo à cor da cerveja, sendo valores mais baixos para cores mais claras e valores mais altos para cores mais escuras.
ABV – Alcohol by Volume: Volume de álcool por volume total de líquido (álc./vol.). Expressa o teor alcoólico.


CERVEJAS NACIONAIS:

·         Bamberg Kolsch

·         Eisenbahn Kolsch

·         Terapia Kolsch

·         Baldhead Kolsch
 
·          Morada Kolsch




 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário