Google+ Badge

terça-feira, 30 de setembro de 2014

AS CERVEJAS ESPECIAIS NA ONDA DOS FOOD TRUCKS

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


Food truck é um espaço móvel que transporta e vende comida. Alguns vendem alimentos congelados ou pré-embalados, outros se assemelham a restaurantes sobre rodas. Alguns servem refeições específicas, como por exemplo comida mexicana, cachorro-quente, hambúrgueres, comida chinesa etc.  A sua popularização se deu quando os caminhões passaram a servir comida gourmet.
 
Food trucks também podem atender carnaval, construções, eventos esportivos, locais de trabalho ou escolas e faculdades, complexo de escritórios, parque industrial, oficina , set de filmagem, base militar, entre outros - onde existe demanda em potencial por refeições regulares ou lanches. Alimentação em Food truck se tornou um fenômeno popular em várias cidades norte-americanas e canadenses. No Brasil, os Food Trucks esbarram na legislação de cada estado e, por enquanto, São Paulo saiu na frente. O Butantan Food Park tem 1.400 metros quadrados e capacidade para até 25 expositores. A novidade organizada como uma praça de alimentação funciona todos os dias com opções rotativas de quitutes. De segunda a quarta, abre às 11h e segue até as 16h. Já de quinta a sábado, o horário se estende até as 22h. No domingo, fecha duas horas mais cedo, às 20h.

E as cervejas especiais? Vender cervejas especiais sobre rodas é a proposta da pioneira da Mais Uma Dose: uma Kombi preparada para vender chopp e cerveja artesanal! A tendência dos Food Trucks que invadiram o país e o mercado crescente das cervejas artesanais foram os fatores que motivaram o Sommelier Fabio Andreoli a criar uma cervejaria itinerante. O veículo está equipado com um sistema de chopeiras que servirão diferentes estilos de chopp artesanal. Uma excelente idéia que conquistará novos apaixonados pelo mundo de cores, aromas e sabores das cervejas especiais. A Kombi da Mais Uma Dose fará sua grande estréia na próxima quinta-feira, dia 2 de outubro, no Panela Na Rua - Edição Food Trucks,  das 18 às 22 horas, Praça Benedito Calixto, 85, São Paulo.






 
 
 
 
 
 
 

CERVEJARIA CORUMBAENSE – CORUMBÁ (MS)

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


            www.industriapantaneira.com.br           

Há quase 100 anos (1914) atrás existia, em Corumbá, a Cervejaria Corumbaense que teve como  tradição a fabricação da Cerveja Oeste e o Refrigerante  Mate Chimarrão. Agora após quase 100  anos de sua fundação uma parceria feita entre empresários bolivianos e um  grupo paranaense,  reabriu a Cervejaria e  fez um resgate histórico e cultural da região. Além disso a cervejaria  foi completamente modernizada e passou a se chamar Industria Pantaneira de Bebidas (2012).

 

CERVEJAS PRODUZIDAS:

·         Cerveja Colônia (Pilsen)

·         Cerveja Oeste Fim de Trilho (Pilsen)

·         Cerveja Morrinhos (Pilsen)

·         Cerveja Morenita (Malzbier)

·         Cerveja Bugrinha (Stout)






LANÇAMENTO DA CERVEJARIA NOI – RIO DE JANEIRO

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


A Cervejaria Noi, de Niterói, RJ, está lançando um novo rótulo no mercado nacional, que promete conquistar os mais exigentes consumidores. Trata-se da  Noi Cioccolato. O estilo? Uma Russian Imperial Stout com oito variedades de maltes de três cereais diferentes (cevada, aveia e trigo), lúpulos das variedades Chinook e Fuggles, além de cacau em pó e em nibs, baunilha em fava e ainda chips de carvalho francês embebidos em uísque. Uau! O fermento de origem americana foi para gerar teor alcoólico elevado (12% ABV) e ajudar na floculação. Os nibs de cacau na fase fria foram adicionados para enriquecer ainda mais o aroma. Foram dois meses e meio para ficar pronta e rendeu quase dois mil litros. O primeiro lote será apenas engarrafado e um segundo já está sendo providenciado (que também estará disponível em chope) para ser lançado em dezembro, para as festividades do Natal. Seu amadeirado destacado já foi corrigido para esse segundo lote, com a quantidade de chips reduzida pela metade. A idéia é que a cerveja seja sempre lançada sazonalmente em edições limitadas. E nós vamos ficar de olho para garantir alguns exemplares dessa preciosidade!!!

FONTE: CERVEJARIA NOI



 

 

WIKIBIER FESTIVAL 2014 – CAMPO COMPRIDO, CURITIBA (PR)

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


O Wikibier Festival já virou marca da cidade de Curitiba, PR. A edição de 2014 já tem data, local e hora para começar! A grande comemoração da cultura cervejeira em Curitiba acontecerá dia 15 de novembro, das 11h às 23h, no Expo UNIMED, em Campo Comprido. Como nas edições anteriores, será uma grande festa, reunindo cervejas especiais (rótulos nacionais e importados), produtores das mais conceituadas cervejarias nacionais, distribuidores e apreciadores das cervejas de boa qualidade. Veja quem já confirmou presença no evento:

·         Cervejaria Anhangava (Quatro Barras)

·         Cervejaria Asgard (Curitiba)

·         Cervejaria Backer (Belo Horizonte)

·         Cervejaria Bamberg (Votorantim)

·         Cervejaria Bier Hoff (Curitiba)

·         Cervejaria Blondine (Curitiba)

·         Cervejaria Cevada Pura (Piracicaba)

·         Cervejaria Colorado (Ribeirão Preto)

·         Cervejaria Coruja (Porto Alegre)

·         Dum Cervejaria (Curitiba)

·         Cervejaria Gauden Bier (Curitiba)

·         Cervejaria Insana (Palmas)

·         Cervejaria Klein (Campo Largo)

·         Cervejaria Morada Etílica (Curitiba)

·         Cervejaria Ópera (Araraquara)

·         Cervejaria Saint Bier (Forquilhinha/Porto Alegre)

·         Cervejaria Schornstein (Pomerode)

·         Cervejaria Way (Pinhais)

·         Cervejaria Wensky (Araucária)

·         Cervejaria ZeHn (Brusque)

Outros expositores estarão presentes no evento: distribuidores, clubes de cerveja, importadores e muita gastronomia para harmonizar com os diferentes estilos oferecidos no festival.  Fica a dica!!!
 
 






 
 

CERVEJARIA KARAVELLE LANÇA NOVO RÓTULO - EDIÇÃO COMEMORATIVA 5 ANOS

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


A Cervejaria Karavelle, de Indaiatuba, São Paulo,  lança a cerveja comemorativa de 5 anos em edição limitada: uma BROWN PORTER bem especial com chips de madeira em bourbon!

Porter é um estilo de cerveja desenvolvido em Londres durante o século XVIII, ganhou esse nome graças a popularidade alcançada entre os trabalhadores portuários. A Brown Porter é um dos tipos de cerveja Porter, existem outros dois que são: Robust Porter e Baltic Porter, esses são relativamente mais fortes, densos e com teor alcoólico maior. A Porter foi precursora da Stout, ainda no século XVII. Brown Porter é uma típica e agradável ale inglesa, uma cerveja leve, escura e com a presença do malte e de um torrado sutil tanto no aroma quanto no sabor, pode ainda apresentar um caráter de caramelo ou nozes em alguns exemplares.

Então, vamos aguardar essa edição limitada de Brown Porter da Karavelle!
 
 
 
 

NOVO LANÇAMENTO DA ST GALLEN – CERVEJA THEREZÓPOLIS OR BLANC

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


A Cervejaria St Gallen, de Teresópolis, Rio de Janeiro, acaba de anunciar em sua rede social, o lançamento do novo rótulo da cervejaria. Trata-se da Cerveja Therezópolis Or Blanc. O estilo? Uma Belgian Witbier. Segue a descrição feita pela St Gallen do seu mais novo rótulo:

“Refrescante e leve, ideal para dias quentes. Cerveja de trigo, coloração pálida, paladar altamente aveludado, trazendo um aroma cítrico e condimentado, pelo uso de cascas de laranja e especiarias em sua composição, deixando ainda mais refrescante e complexa, como uma boa e típica Witbier. Nova Cerveja Therezópolis Or Blanc, em breve, na sua geladeira.”

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

OS PRÓS E OS CONTRAS DO MERCADO NACIONAL DECERVEJAS ESPECIAIS

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


Novos negócios em produção e serviços se proliferam e ganham cursos com informações sobre o mercado e caminho das pedras na burocracia nacional. Muitos dos novos empreendedores da cerveja tiveram o primeiro contato com o mercado profissional através de um hobby: o de produzir a própria cerveja. Muitos dos rótulos hoje disponíveis nas prateleiras de grandes redes de supermercado e balcões de bares especializados foram originalmente criados na panela de um cervejeiro caseiro. E antes de chegar ao copo do consumidor passaram por um longo processo que envolve aprovação do Ministério da Agricultura (MAPA) e pode levar até dois anos. Nada que os faça desistir. Basta entrar numa feira de cerveja e ver os estandes desses novos rótulos lotados de gente ávida por informações para ter certeza que ainda há muito espaço para crescer.
No Brasil, a cerveja é considerada legalmente cerveja quando possui, no mínimo, 55% de cereais maltados em sua composição. Isso é pouco, pois faz com que sua qualidade seja muito inferior às outras cervejas que não fazem uso de adjuntos cervejeiros que são usados por grandes cervejarias para baratear os custos de produção, como arroz e milho. As cervejas especiais são produzidas com 100% de cereais maltados, com ou sem a presença de aditivos, com lúpulos de uma ou mais variedades, fermentos de qualidade, entre outros aspectos da receita,  para que o produto final tenha qualidade, cores, aromas, sabores e corpo, nos mais variados estilos produzidos. 
O mercado de feiras especializadas em cervejas artesanais é mais um indicativo da ebulição que vive o setor. A expectativa de organizadores é de um crescimento anual de 20% a 30%. Um bom exemplo é o Mondial de la Bière, que acontecerá no Rio, de 20 a 23 de novembro de 2014. . A marca canadense que aportou no Terreirão do Samba, no ano passado, ganha em novembro sua segunda edição com espaço 25% maior e expectativa de atrair 23 mil visitantes, 15% a mais que no ano passado.
Mas, nem tudo são flores... Mesmo em franca expansão, o mercado interno sofre com obstáculos, carga tributária exorbitante e falta de logística que, muitas vezes, deixa uma cerveja artesanal nacional mais cara do que uma cerveja importada. A falta de uma cadeia nacional de fornecedores, a cobrança de impostos em cascata nas operações internacionais e interestaduais, a precariedade da logística interna e a burocracia, enfim, ainda são muitos os problemas...
FONTE: O GLOBO/por Karine Tavares
              MONDIAL DE LA BIERE RIO
 





 
 
 

OUTUBRO ROSA, CERVEJA ROSA!

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


Outubro Rosa é uma campanha de conscientização realizada por diversas empresas e instituições, no mês de outubro,  dirigida a sociedade e as mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento começou a surgir em 1990 na primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, e desde então, promovida anualmente na cidade. Entretanto, somente em 1997 é que entidades das cidades de Yuba e Lodi, também nos Estados Unidos, começaram a promover atividades voltadas ao diagnóstico e prevenção da doença, escolhendo o mês de outubro como epicentro das ações.

O Mais Bier Brewpub, de Joinville, Santa Catarina abraça a causa Outubro Rosa... Chope Rosa a partir de 1/10/2014 - a renda será revertida para a Rede Feminina de Combate ao Câncer, de Joinville.  O pub conta com 10 torneiras com cerveja fresca e honesta. Gastronomia caprichada e irreverente. Participe dessa idéia!!!

O Mais Bier Brewpub fica na Rua Max Colin, 1950 - Joinville

 




 
 

CONHECENDO UMA MALTARIA NACIONAL – A AGROMALTE - GUARAPUAVA (PR)

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


Quase toda colheita de cevada do país é direcionada para a fabricação de cerveja em escala industrial e para o crescente mercado da bebida artesanal. Mas como esse cereal se transforma em malte, considerado a alma da cerveja?

Depois de colhida, a cevada segue para a maltaria, onde é classificada e testada, antes de ser germinada para se transformar em malte. A aplicação de um reagente indica o percentual de germinação da cevada. Para ser usada pela indústria cervejeira, ela deve ter um teor mínimo de 95% de germinação. Se for inferior, o grão segue para a ração animal..

A malteação é o processo de germinação controlada da cevada e que envolve a umidificação, a germinação em si e a secagem, e cujos propósitos são: amolecer os grãos para facilitar a moagem; desenvolver as enzimas responsáveis pela quebra do amido durante a brassagem; introduzir cor e aromas desejáveis à cerveja. (Fonte: Cervejaria Fraga/RJ)

A Agromalte é a fábrica de malte da Cooperativa Agrária Agroindustrial. Operando desde 1981 no distrito de Entre Rios (Guarapuava/Paraná), a indústria é a maior de seu segmento no país. Com isso, a Cooperativa detém um market share de cerca de 20% no mercado brasileiro de malte. A Agromalte está presente em todas as etapas da produção do malte. A Agromalte e a Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária (FAPA) trabalham em sintonia. O objetivo é a qualidade do produto final. A FAPA estuda e define quais as variedades e tecnologias indicadas para o cultivo da cevada resultam num malte de alta qualidade. A Agrária conta com a experiência de seus cooperados para a produção de cevada cervejeira. Na região da Agrária, o cultivo ocorre nas estações de inverno e primavera, com plantio em junho e colheita em novembro.

Principais setores da Maltaria:

 Maltaria 1: 6 caixas de germinação, 2 estufas, silos de cevada e malte

 Maltaria 2: torre de germinação (4 caixas de germinação), estufa, caldeira, silos de cevada e malte, laboratório (análise de qualidade) e lagoas de tratamento de efluentes.

A produção do malte segue as seguintes etapas na Agromalte:

Maceração – a cevada é molhada para aumentar a umidade e facilitar a germinação.

Germinação – nas caixas de germinação, sob temperatura controlada, se induz a cevada a iniciar seu processo de germinação.

Secagem – após 4 dias de germinação, a cevada já germinada (também denominada de malte verde) é transferida para a estufa. Ali, sob temperatura controlada, ocorre a secagem.

Dependendo da intensidade da seca e da torra é que o malte adquire determinadas características de coloração e aroma que pode ser de caramelo, café, chocolate, frutas secas, entre outros. Depois de produzido, o malte segue para a cervejaria, onde ocorre a produção do mosto e são adicionados o fermento, o lúpulo e a água.

(Fonte: Agromalte)