Google+ Badge

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O ESTILO ENGLISH INDIA PALE ALE SEGUNDO O BJCP

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


O BJCP (Beer Judge Certification Program) define as diretrizes de estilo para cerveja. Nesse guia podemos encontrar todos os estilos conhecidos até hoje, analisando a cerveja sob todos os aspectos: cor, aroma, sabor, corpo, densidade, teor alcoólico e muito mais.

English IPA

IPA Inglesa

Aroma: Aroma de lúpulo de moderado a moderadamente alto e de natureza floral, terrosa ou frutada é típico, ainda que a intensidade do caráter de lúpulo seja normalmente mais baixo do que nas versões americanas. Leve aroma de dry-hopping de caráter gramíneo é aceitável, mas não obrigatório. A presença moderada de malte com notas de caramelo ou tostado é comum. Frutosidade de baixa a moderada, proveniente de ésteres ou de lúpulos, pode estar presente. Algumas versões podem apresentar nota sulfurosa, mas esta característica não é obrigatória.

Aparência: A cor varia de âmbar dourado até cobre claro, mas a maioria vai de âmbar pálido a médio e com tons alaranjados. Deve ser límpida, ainda que versões não filtradas que passam por dry-hopping possam ser um pouco turvas. Boa retenção de colarinho de cor quase branca e que deve persistir.

Sabor: Sabor de lúpulo de médio a alto, com amargor de lúpulo de moderado a assertivo. O sabor do lúpulo deve ser similar ao aroma (floral, terroso, frutado, e/ou levemente gramíneo). O sabor do malte deve ser de médio-baixo a médio-alto, mas deve ser perceptível, agradável e deve dar suporte ao lúpulo. O malte deve apresentar um caráter inglês que lembre pão, biscoito, tostado e/ou caramelo. Apesar da característica substancial de lúpulo dessas cervejas, o equilíbrio ideal é alcançado com a quantidade suficiente de malte, corpo e complexidade. Níveis muito baixos de diacetil são aceitáveis e a frutosidade resultante da fermentação ou dos lúpulos aumentam a complexidade. O final vai de médio a seco, e o amargor pode persistir no retrogosto, mas que não deve ser áspero. Se a água utilizada possuir muitos sulfatos, pode normalmente aparecer um distinto final seco, com características minerais, algum sabor de enxofre e um amargor persistente. Em versões mais fortes pode ser notado algum sabor limpo de álcool. Carvalho é inapropriado neste estilo.

Sensação na Boca: Macia, com corpo de médio-leve a médio, sem a adstringência derivada do lúpulo, ainda que uma carbonatação de moderada a médio-alta possa combinar para causar uma sensação geral seca na presença do dulçor do malte. Um suave calor alcoólico pode e deve ser percebido nas versões mais fortes (mas não em todas).

Impressão Geral: Uma Pale Ale lupulada, moderadamente forte que apresenta características consistentes com o uso de maltes, lúpulos e leveduras inglesas. Possui menos caráter de lúpulo e um sabor de malte mais pronunciado do que as versões americanas.

História: Feita para sobreviver à viagem da Inglaterra até a Índia. As temperaturas extremas e a agitação do mar resultavam em uma cerveja altamente atenuada no desembarque. As English Pale Ales foram derivadas das India Pale Ales.

Comentários: Uma Pale Ale produzida com uma densidade e lupulagem aumentadas. Versões modernas das IPAs inglesas geralmente esmorecem frente às suas ancestrais. Atualmente o termo "IPA" é aplicado largamente às cervejas comerciais inglesas e tem sido utilizado (incorretamente) em cervejas com menos de 4% ABV. Geralmente possui mais lúpulo de finalização e menos notas frutadas e/ou de caramelo do que as Pale Ales ou Bitters inglesas. Versões mais frescas obviamente possuem caráter de lúpulo de finalização significativamente maior.

Ingredientes: Malte pale ale (bem modificado e adequado para infusão simples). Lúpulos ingleses. Leveduras inglesas que podem criar um perfil frutado ou sulfuroso/mineral. Açúcar refinado pode ser utilizado em algumas versões. Água com concentração alta de sulfatos e baixa de carbonatos é essencial para atingir o agradável amargor nas versões autênticas de Burton, ainda que nem todos os exemplos exibam forte caráter de sulfato.

Estatísticas: OG: 1,050 – 1,075

IBUs: 40 – 60 FG: 1,010 – 1,018

SRM: 8 – 14 ABV: 5 – 7,5%
 

OG – Original Gravity: Densidade Original. Medida da densidade do mostoantes da fermentação, que varia com a quantidade de açúcares em solução.
IBU – International Bittering Units: Unidades Internacionais de Amargor. Escala referente ao amargor do lúpulo.
FG – Final Gravity: Densidade Final. Medida da densidade do mosto fermentado. A relação entra a OG e a FG ajuda a estimar o teor alcoólico da cerveja final.
SRM – Standard Reference Method: Método Padrão de Referência, relativo à cor da cerveja, sendo valores mais baixos para cores mais claras e valores mais altos para cores mais escuras.
ABV – Alcohol by Volume: Volume de álcool por volume total de líquido (álc./vol.). Expressa o teor alcoólico.
 
CERVEJAS NACIONAIS:

·         Diabólica IPA

·         Falke Bier Estrada Real IPA

·         Velhas Virgens IPA

·         Bierland IPA

·         Burgman IPA Hop

·         Schornstein IPA
 







 
 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário