Google+ Badge

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

CERVEJARIAS ARTESANAIS SÃO EXCLUÍDAS DO NOVO SIMPLES NACIONAL

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves


“Cerveja artesanal não é bebedeira, coisa do demônio! É mais empregos por litro, é desenvolvimento regional, é fomento ao turismo local, é incentivo ao consumo moderado e responsável, é BEBA MENOS E MELHOR!
Até agora, somente UM candidato a deputado estadual por São Paulo declarou apoio ao setor ( Mauricio Balieiro Lodi). Onde estão os demais candidatos a apoiar essa causa justa?”
Publicado por Mauricio Beltramelli, Professor do Science of Beer, Autor do livro “Cervejas, Brejas e Birras”.

 
Em acordo com o governo para garantir a aprovação do texto-base, os parlamentares retiraram da proposta inicial os fabricantes de bebidas. O governo federal argumenta que não quer incentivar o consumo de álcool. É mole? Mas como? Se a proposta das cervejarias artesanais é exatamente beber menos e com qualidade???

Sem falar nas grandes cervejarias e o lobby que tenta impedir o crescimento das cervejarias artesanais pelo país, pois os impostos pagos atualmente em equipamentos, matéria-prima e insumos é bem elevado e limita esse crescimento.

Veja abaixo, a orientação de cada partido pela inclusão da Cervejarias Artesanais no SILMPLES ou não...

PT: Não
PMDB: Não
PpPros: Liberado
PSD: Sim
PSDB: Sim
PrPtdobPrp: Não
DEM: Sim
PSB: Sim
Solidaried: Sim
PtbPsdc: Sim
PDT: Sim
PCdoB: Não
PSC: Não
PRB: Não
PV: Liberado
PPS: Sim
PSOL: Sim
PMN: Sim

Levantamento feito pela Veja SP, mostra que as doações feitas por três das maiores cervejarias do país - Ambev, Petrópolis e Kirin Brasil - aos políticos nas eleições de 2010 somam mais de R$ 19 milhões. As doações foram feitas perfeitamente dentro da lei. Mas indicam o interesse das empresas nas discussões legislativas... (FONTE: REVISTA VEJA)

Portanto, devemos lembrar que a produção artesanal gera emprego, gera renda, e não pode ser tributada como a daqueles setores que produzem em grande escala. As cervejarias artesanais nacionais devem se mobilizar para cobrar esse assunto!




Nenhum comentário:

Postar um comentário