Google+ Badge

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

CERVEJA BRANCA MORENA: LANÇAMENTO

Por Letícia Souza Gomes e Artur Neves



A Cervejaria Nacional de São Paulo, SP, e a Cervejaria Benedith de Uberlândia, MG,  lançaram agora em novembro a Cerveja Branca Morena, uma colaborativa dessas duas importantes cervejarias artesanais no mercado nacional. A Cerveja Branca Morena tem 7,5% de teor alcoólico e 20 IBU (unidade de amargor). O que se percebe nessa cerveja são os  aromas de malte e de caramelo e uma forte presença de defumado. O nome vem de lenda comum aos  moradores da fronteira entre os estados de São Paulo e Minas Gerais. Essa  lenda conta que o amor proibido entre um escravo e a filha de um fazendeiro rico gerou uma menina metade negra e metade branca.

A lenda: “No século dezenove , na época da escravidão , havia uma fazenda na fronteira de Minas Gerais com São Paulo onde morava um viúvo fazendeiro chamado Ernesto , que tinha uma filha loira com o nome de Cláudia . Um certo dia , a filha do fazendeiro se apaixonou por um escravo e este casal passou a se encontrar escondido . Porém , Ernesto descobriu sobre o namoro de Claúdia, a proibiu de se encontrar com o escravo e ameaçou vender o seu amado . A moça confessou estar grávida e fugiu com o seu amado para um quilombo.  A mãe do escravo ao saber desta história , fez um ritual de candomblé para que a criança não nascesse .  Já , o fazendeiro ao saber de tudo isto , encomendou os trabalhos de uma feiticeira européia para que , também , o bebê não viesse ao mundo .  Alguns meses se passaram e Claúdia deu a luz a uma menina de duas cores : metade do corpo da criança era negro e outra parte era branca . Esta criança foi batizada com o nome de Branca Morena. Ao completar 15 anos fugiu do quilombo para a cidade grande, onde as pessoas se assustaram com a sua aparência e ela acabou sendo morta. Dizem que assombra a região...”




Nenhum comentário:

Postar um comentário